como gotas de chuva nas folhas dos chorões

Espalharam-se as nozes sobre um velho lençol

estendido noutro feito de sol.

Estarão secas?

Não consigo contá-las,

não consigo distingui-las pelas rugas das cascas

nem p’los grãos das suas sombras.

Varre-as a luz da manhã.

Há uma que jaz no chão do pátio, fora do tecido:

foi a que eu pisei, e ao fazê-lo emergiu da casca um pequeno cérebro [amarelo

***

E outras imagens há de singular beleza,

como gotas de chuva nas folhas dos chorões.

 

 

 

 

André Almeida Paiva

2016